Mercado Vegano Cresce 40% Ao Ano No Brasil

Mercado Vegano Cresce 40% Ao Ano No Brasil

Estudo da Mordor Intelligence calcula que 85% dos brasileiros possuem algum nível de intolerância à proteína do leite de origem animal, ante 69% dos chilenos e 60% dos argentinos. O crescimento das doenças alérgicas e de intolerância à proteína dos leites de origem animal são apontados por especialistas como os principais fatores para a tendência de crescimento dos leites e derivados vegetais no mercado sul-americano. Yasmin Andrade, 20 anos, estudante de Letras e consumidora de produtos veganos, acredita que o principal motivo para ser adepta desse cuidado estético natural é a causa animal.

Na loja de produtos naturais que fica perto de casa, sempre vejo as pessoas comprando refeições veganas congeladas, como uma feijoada, por exemplo. Aliás, a feijoada da família vegana já é um dos pratos principais de um boteco da zona oeste da cidade. A decisão de se tornar vegetariano ou vegano tem crescido muito nos últimos tempos. O último levantamento do IBOPE Inteligência sobre o tema, em 2018, apontou que cerca de 29 milhões de brasileiros não comem carne, o que representa 14% da população. Empreendedores do mercado vegano do litoral paulista celebram o aumento da procura por alimentos à base de plantas. O Dia Mundial Sem Carne, comemorado neste sábado , é uma oportunidade para incentivar ainda mais o consumo de alimentos que não sejam de origem animal.

Além da preocupação com a sustentabilidade, a marca preza pela multifuncionalidade dos produtos. Os três que a marca vende, multi-stick , highlighter e bronzer, podem ser usados de diferentes formas, o que confere um caráter “reciclável” à proposta da Mooi. De acordo com a Sociedade Vegetariana Brasileira , a ética xampu e condicionador em barra natural vegano é o principal pilar do movimento, uma vez que os animais são capazes de sofrer, sentir prazer e felicidade, merecem respeito e consideração moral. Entre os respondentes do nosso estudo, a preocupação com o bem-estar dos animais é o principal motivo (47%) pelo qual escolheram adotar uma dessas alimentações.

Saiba Mais Sobre O Crescimento Do Veganismo No Brasil!

Nossas soluções incluem análises dos melhores países para a exportação do produto, prospecção de possíveis compradores e o planejamento da internacionalização. A Domani oferece soluções personalizadas que possam atender às necessidades do nosso cliente para que ela possa realizar seus sonhos. Desse modo, somos capazes de guiá-lo principalmente sobre a promoção comercial do seu produto através dos nossos selos, garantindo que ele possa adquirir mais valor no mercado internacional e obtenha mais êxito no país de destino. Com os nossos selos “cruelty-free” e “svb vegano”, seu produto demonstrará que não possui resquícios de animais e que nem foi testado nos mesmos. Ademais, oferecemos serviços voltados para questões burocráticas, logísticas e financeiras para que a exportação possa ser realizada com segurança e autonomia.

crescimento dos produtos veganos no Brasil

O primeiro dele está ligado ao produto, que não pode apresentar nenhum ingrediente de origem animal. O segundo, estabelece que a empresa fabricante não pode testar o produto final em animais e, por último, os fornecedores fabricantes dos ingredientes e matérias primas daquele produto, também não devem realizar testes em animais. Os critérios sobre os testes em animais têm como base a regulamentação europeia para cosméticos sobre esse assunto. Ao falar de sua experiência, Luiza cita o vegetarianismo e o veganismo como forma de consumir de forma consciente e criteriosa, além de levá-la à reflexão sobre um estilo de vida saudável que beneficie a si e a todo o planeta. “No que tiver opção vegana e for boa e saudável para mim, para os animais e para o meio ambiente, eu vou fazer essa opção”, afirma.

Porque Adotar Uma Alimentação Vegana Ou Vegetariana

É claro que alimentos de origem animal devem continuar presentes nos pratos das famílias brasileiras por um bom tempo, afinal fazem parte da nossa cultura, mas o consumo consciente, a partir de alternativas mais sustentáveis, deve ser levado em consideração. A maior dificuldade, segundo Renata, veio quando ela decidiu fazer a transição para o veganismo. Ainda tinha muita coisa na minha vida que eu usava ou fazia que explorava animais, e meu coração já não estava contente com isso.

Mercado Do Bem Estar Natural Ganha Destaque Em Pernambuco E No Brasil

Mas é importante ressaltar, também, que a tendência está migrando do universo dos alimentos para outras categorias de produtos, com alta relevância para cosméticos e higiene pessoal no geral. Na área da estética e cosmética, as empresas têm se adaptado a essa nova tendência. Com a população mais atenta as questões da sustentabilidade, as marcas estão sendo cobradas para não testarem os seus produtos em animais. Indo um pouco além, para atender ao público que está mais relacionado ao veganismo, os produtos de cosméticos estão passando por reformulações para retirada de ingredientes da sua composição que são de origem animal. Hoje o mercado conta com desodorantes, variedades de cremes e maquiagens veganas. Segundo o secretário da SVB, isso facilita para que as pessoas reduzam o consumo de carne, mas, principalmente, para quem deseja seguir esse estilo de vida, principalmente, no que se refere ao preço dos produtos.

Atualmente, estima-se que 14% da população brasileira seja vegetariana ou vegana. Mas, dados de uma pesquisa feita pelo Ibope, encomendada pela Sociedade Vegetariana Brasileira , apontam que 55% das pessoas comeriam mais produtos veganos se estivesse indicado na embalagem e 60% consumiria mais se o valor fosse o mesmo das comidas comuns. De acordo com a pesquisa do Ibope Inteligência, realizada em 2018, estima-se que 14% dos brasileiros sejam vegetarianos e 7 milhões se considerem veganos. O mesmo estudo afirma que aproximadamente metade dos brasileiros consumiriam mais produtos veganos se estivessem melhor especificados na embalagem (55%) ou se custasse o mesmo preço que os produtos que consomem normalmente (60%).

Já os empresários enxergam como uma forma de desmitificar o veganismo e mostrar como as experiências gastronômicas veganas unem sabor e qualidade sem agredir o meio ambiente. O vegetariano, por sua vez, costuma limitar apenas a sua alimentação, seja por questões éticas ou de saúde. Mas, ao contrário dos veganos, os vegetarianos consomem produtos que sejam de origem animal, como roupas de lã ou sapatos de couro, por exemplo. Os vegetarianos também costumam comer alimentos com derivados de animais, como leite, mel e ovos, mas não consomem a carne em si, como aves, peixes e crustáceos.

Deixe um comentário